CM 

O dever do Estado

Em 2018, a ASPP/PSP levou uma petição a debate na Assembleia da República para a atribuição do subsídio de risco aos profissionais da Polícia.

A votação foi clara como a água, todos os grupos parlamentares da AR votaram a favor, excetuando o grupo parlamentar do Partido Socialista, que se absteve. Esta abstenção deixa também claro que, lá bem no fundo, concordam com este reconhecimento.

É só olhar para as últimas décadas para observarmos a quantidade significativa de mortes em serviço. Mas também é expressivo o número de agressões graves e muito graves cometidas anualmente contra polícias. Já que as entidades responsáveis pelas instituições gostam tanto de estatística, bem poderiam debruçar-se sobre estes números negros e, sem rodeios compensar, os polícias por estas situações que fazem parte do seu quotidiano

Por isso, o governo não pode terminar a legislatura e esquecer que o Parlamento fez recomendações claras sobre a necessidade de aplicar este subsídio aos polícias.
A ASPP/PSP não deixará de continuar a lutar pelos direitos dos polícias e a atribuição deste subsídio, que é um direito que o Estado nem deveria contestar.



 Paulo Rodrigues, Presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia